Guias anti-pepinos

 
Guia

Elétrica

 

 

 

Este guia é para quem vai contratar um profissional para fazer instalação elétrica na sua casa e quer controlar melhor a qualidade da obra. Aqui você encontra as informações essenciais para ter noção do processo e dos erros comuns, escolher melhor material e mão de obra, e aparecer na obra na hora certa sabendo para o que olhar.

O BÁSICO

 

Muita gente confunde elétrica com iluminação e fica preocupada apenas com as lâmpadas e lustres. A instalação elétrica vem antes e inclui todo conjunto de cabos, interruptores e tomadas que garante energia para a casa inteira.  Se for mal feita ou mal dimensionada pode causar incêndios e choques graves onde nem se espera – como na porta da geladeira, por exemplo.

Para acompanhar a qualidade da sua obra elétrica preste atenção em três principais coisas: (1) organização do quadro de energia (caixa de força), (2) tipo de cabos que seu eletricista pede e usa e (3) quantidade e posição dos pontos de energia nos cômodos. E, claro, não aceite gambiarras, não autorize emendas, nem fios desencapados ou cabos passando fora de conduítes – vai sair mais caro no final!

Instalação elétrica “vence”!

Se sua casa tem mais de dez anos, provavelmente você precisará fazer uma manutenção de elétrica. Os próprios cabos podem começar a apresentar problemas nos pontos de junção e dobras, especialmente se a sua casa tem ou teve problemas com umidade, infiltrações etc. Além disso, hoje em dia , as pessoas tem muito mais aparelhos eletrônicos em casa , mas as instalações não foram planejadas para isso. Planejar é importante em qualquer obra, mas com elétrica é fundamental, portanto aproveite o momento da reforma e peça uma avaliação das instalações elétricas da sua casa.

Circuitos de energia organizados

O quadro de distribuição (de energia) é o ponto de controle da energia na sua casa. A energia da rua chega nela por um cabo especial, mais grosso, passando pelo medidor de luz. De lá, a energia vai até os pontos (tomadas, lâmpadas, chuveiros elétricos etc.) via cabos mais finos. Cada conjunto de cabos que sai do quadro de distribuição e percorre vários pontos em casa se chama circuito. Cada um desses circuitos começa no quadro com um disjuntor (ou fusíveis nas casas antigas).

Você deve garantir que na sua casa sejam feitos vários circuitos, ou seja, no seu quadro de força você deve ter, pelo menos, quatro disjuntores instalados: um disjuntor específico para  tomadas de uso comum, um para lâmpadas, um para tomadas da cozinha e, principalmente, um para cada chuveiro.

A regra geral é ter um circuito separado para aparelhos que consomem mais de 1800 Watts de energia (confira a potência na etiqueta ou embalagem do aparelho elétrico). Aparelhos potentes como torneira elétrica, micro-ondas e  ar condicionado, precisam de um disjuntor exclusivo para cada um deles. Exija isso do seu eletricista e teste todos os circuitos ligando e desligando os disjuntores antes de aceitar o trabalho.

Fios e cabos certos

Um bom eletricista deve te pedir cabos de cores e grossuras (ele vai chamar isso de bitola) diferentes e vai explicar o porquê. Não aceite material sem certificação de qualidade INMETRO, o risco é muito grande.

As grossuras (bitolas) dependem do tipo de circuito – quanto mais grosso, mais potente (e mais caro). Os circuitos mais potentes são para ligar chuveiro. aquecedor de água elétrico, ar condicionado e eletrodomésticos da cozinha (a chamada linha branca). Para eles o eletricista deve te pedir bitolas de 4 ou 6 mm²; para tomadas comuns 2,5 mm² e para luminárias, 1,5 mm² no mínimo.

As cores dependem da finalidade do cabo e são regularizados pelas normas da indústria. São três principais tipos de cabos que você terá em sua casa: terra (para segurança contra curto circuito e choques) – cor verde ou verde/amarelo, neutro (sem corrente elétrica) – azul; e fase (sob tensão elétrica) – preto, marrom ou vermelho.

Os cabos podem passar por dentro ou por fora da parede. De qualquer maneira os cabos devem ficar sem contato direto com a parede, dentro dos conduítes  (são tubos ou mangueiras especiais). Peça um plano de instalação ao eletricista e veja se os fios fazem o mínimo possível de curvas. Isso facilita a manutenção e aumenta a vida útil dos cabos.

Luz e tomadas sem falta

Para decidir a quantidade de tomadas, pense nos aparelhos que vai conectar. Na duvida é melhor ter tomadas sobrando do que fazer gambiarras. Para sua referência, planeje pelo menos uma tomada a cada 3,5 metros de parede na cozinha, e uma a cada 5 metros nos quartos e salas. No banheiro, tenha pelo menos uma tomada e garanta que ela fique pelo menos a 60cm de distância do chuveiro  pra evitar choques.

Na cozinha e na área de serviço, é bom planejar algumas tomadas de 220V, pois alguns aparelhos podem precisar desta tensão. Essas tomadas devem ser marcadas com cor diferente para evitar queimar os aparelhos com tensão padrão de 110V.

Também planeje os pontos em que irá colocar iluminação e a localização deles no ambiente.

Elétrica – ERROS COMUNS

Elétrica – MATERIAL

Elétrica – MÃO DE OBRA

Elétrica – VOCÊ NA OBRA

 

Pronto!

 

Relacionados a este guia

Elétrica – ERROS COMUNS

por: Igor Karpachev

  • 0

Elétrica – MATERIAL

por: Igor Karpachev

  • 0

Elétrica – MÃO DE OBRA

por: Igor Karpachev

  • 0

Elétrica – VOCÊ NA OBRA

por: Igor Karpachev

  • 0
×

Login