O disjuntor é um dispositivo de segurança que desarma toda vez que sua capacidade é ultrapassada . Ele desarma para interromper a corrente elétrica e evitar superaquecimento, que poderia começar um incêndio. O disjuntor tem a mesma função do antigo fusível, mas o fusível queima e aí é preciso trocar a peça por uma nova. O disjuntor tem uma mola que desarma o circuito, depois basta ligar novamente, sem precisar trocar peça.

Motivo mais comum pro disjuntor desarmar: sobrecarga do sistema.

Isso é muito comum em casas antigas porque as instalações não foram projetadas para ligar tantos equipamentos que demandam energia. Ou o circuito pode estar sobrecarregado devido à instalação de novos equipamentos com potência superior ao que foi previsto no projeto (por exemplo, um chuveiro muito potente). Daí o jeito é reformar.

Pra resolver:
Se o quadro de energia ainda tiver montado com fusíveis, o melhor é trocar para disjuntores que são mais seguros e passar cabos (fios) novos!

Se preferir colocar um disjuntor que aguente uma amperagem maior, troque também a fiação. Se você usar um disjuntor de 30A para uma fiação que aguenta 15A, os fios vão aquecer demais, mas o disjuntor não vai desarmar e pode acontecer um curto-circuito! Pense sempre no conjunto disjuntor+fiação. Os condutores mais utilizados em circuitos elétricos residenciais são: 

  • 1,5 mm² (15,5 ampères), 
  • 2,5 mm² (21,0 A),
  • 4,0 mm² (28,0 A),
  • 6,0 mm² (36,0 A),
  • 10,0 mm² (50,0 A).

Outras causas dentro da sua casa ou do seu apartamento

A conexão do disjuntor com a fiação pode estar mau isolada ou frouxa.  Para resolver é só fazer o reaperto ou isolar novamente a conexão, que ele volta a funcionar. Melhor chamar o eletricista pra fazer isso.

Pode ser que algum equipamento esteja com defeito, provocando fuga de corrente. Isso gera aquecimento excessivo e o disjuntor desarma. Confira todos os aparelhos e conserte.

Em prédios antigos, o problema pode ser na fiação do condomínio: prumada subdimensionada

Se você mora em um prédio antigo, o problema pode estar fora do seu apartamento. Pode ser que a prumada  – cabo que vem do andar inferior e leva energia para todos os apartamentos – não esteja adequada e desarme o disjuntor geral do prédio.

Para resolver será preciso trocar a espessura (bitola) da prumada do condomínio. Daí o condomínio ou o conjunto de moradores interessados se responsabilizam pela reforma e trocam a prumada por uma de maior espessura. Mas esse cálculo e o projeto dessa obra precisa ser feito por um engenheiro elétrico.

Mas, antes, tenha certeza de que a instalação elétrica do seu apartamento está bem feita. Chame um eletricista ou engenheiro elétrico pra avaliar.

Elétrica, você na obra

Elétrica, você na obra A obra de elétrica inclui os seguintes etapas: 1) instalação do...