Piso frio

Este guia é para quem vai contratar um profissional para fazer o piso frio (de cerâmica ou porcelanato) na sua casa e quer ficar mais no controle da qualidade da obra. Aqui você encontra as informações essenciais para ter noção do processo e dos erros comuns, escolher melhor material e mão de obra, e aparecer na obra na hora certa sabendo para o que olhar. O BÁSICO O piso é feito como uma lasanha, em várias camadas, e as placas da cerâmica ou porcelanato são a última, a que fica visível. A duração e a qualidade do piso dependem muito das camadas por baixo, e a mais importante delas é o contrapiso. Ele não fica visível mas se for mal feito, você só vai descobrir depois, quando seu pedreiro já estiver bem longe. Portanto não deixe instalar o piso antes de verificar a qualidade da base. As etapas principais desta obra são: 1) colocação da base (contrapiso), 2) colocação do próprio piso e 3) rejunte. A obra vai demorar vários dias por causa de tempo de secagem entre as etapas. Preste atenção se o pedreiro respeita esse tempo e não o pressione mais do que o necessário. O papel da secagem é mais do que garantir que ninguém pise e estrague a forma do piso: é deixar a água da massa evaporar livremente e o cimento reagir para endurecer bem. Tem que esperar, mesmo.

Cerâmica ou porcelanato

Piso frio pode ser feito de cerâmica ou porcelanato.  Os dois tipos são resistentes à água, têm vários tipos de acabamentos (estampas) e vêm em placas que serão instaladas pelo pedreiro.  Porcelanato é mais moderno e resistente, porém mais caro. Se for usar piso cerâmico, preste atenção se a peça é resistente para o ambiente e intensidade de uso (consulte caixa do produto ou vendedor). Lembre: azulejo de parede não serve para usar como piso!

Piso bem colado

Antes do assentador começar a colar as placas de piso, verifique com os pedreiros se ainda não há tubos ou conduítes elétricos a serem passados pelo chão. O processo será assim: o pedreiro vai colar as placas que você comprou e, depois que a argamassa secar, vai colocar o rejunte. Para colar porcelanato e cerâmica são utilizadas argamassas diferentes. Procure na embalagem do piso a indicação da argamassa ou veja também nos pacotes de argamassa para que pisos elas servem. Se errar, o piso vai soltar. Depois que o piso for colado, a argamassa tradicional deve secar por 2 a 3 dias antes que o rejunte possa ser colocado. Esse tempo deve ser respeitado por seu pedreiro e por você, senão a água da massa vai se acumular por baixo do rejunte e ele vai soltar logo.  Esse tempo só pode ser menor com uso da argamassa especial “seca rápido”, que é mais cara. É possível instalar piso sobre piso existente desde que ele esteja firme e nivelado. Não se esqueça de verificar se isso não vai atrapalhar a abertura da porta.

Que desenho o piso deve fazer no chão?

Decida com o pedreiro o desenho que as peças devem fazer, se não, vai ficar o gosto dele.  Podem ser as peças paralelas, o piso na diagonal, pequenas peças de enfeite no desenho, etc. Também não se esqueça de confirmar que ele vai fazer o rodapé, cortando a peça de piso para colar na base da parede e proteger de infiltrações.

Cuidado com rejunte fino!

Rejunte mais fino é bonito, mais não são todas as placas que permitem isso por causa da precisão de corte da placa na fabricação. Pra fazer rejunte fino, a placa que você comprar tem que ser ‘retificada’. Observe se isso está escrito na etiqueta da caixa ou confirme com o vendedor da loja. O fabricante sempre indica a largura da junta recomendada para cada tipo de placa. Deixar as placas mais perto do que o recomendado pode fazer que elas comecem a soltar ou trincar.  Para acertar na largura dos rejuntes, existem peças chamadas espaçadores. Seu pedreiro tem que solicitar ou trazer vários.

Piso na cozinha ou banheiro? Cuidado com água!

Se está colocando piso em área molhada (cozinha, banheiro, quintal), lembre que tem que ter ralos com uma leve inclinação no piso para que a água corra para eles. Confirme isso com seu pedreiro na hora de colar o piso. Jogue água no piso depois que ele ficar pronto para verificar se a água corre para os ralos. No caso da cozinha e banheiros o pedreiro sempre deve fazer a impermeabilização do contrapiso e da parte mais baixa da parede para  proteger de infiltrações. Confirme que ele vai fazer isso antes de contratá-lo. Para não ficar muito escorregadio, o piso não deve ter  acabamento liso. Na hora de comprar veja se a textura é um pouco áspera e se aquele tipo de placa é indicado pra áreas molhadas (essa informação está na caixa). Se não, vai ficar uma pista de patinação! Piso frio, material O seu objetivo é escolher o material certo, sem gastar extra. Use a lista dos materiais para confirmar se tudo já foi comprado ou orçado. Se o pessoal de obra solicitou ou comprou uma lista bem maior ou menor, fique atento e confirme se não há erro. Verificar a lista de materiais com antecedência faz que você não precise sair correndo enquanto a obra se atrasa. Esses materias você vai precisar para piso frio:

  • Argamassa para contrapiso (ou cimento e areia)
  • Impermeabilizante (para áreas molhadas)
  • Argamassa colante específica (para piso cerâmico ou porcelanato, resistente à água ou não)
  • Rejunte e espaçadores de rejunte
  • Placas de piso cerâmico ou porcelanato

SUA ESCOLHA

Sua principal escolha é das placas de piso. Na hora de escolher, leve em conta:

  • o tamanho do ambiente e tamanho das placas. As placas muito grandes são mal aproveitadas em cômodos pequenos porque tem que fazer muitos recortes;
  • se é uma área molhada (banheiros, cozinhas) ou seca (sala, quartos). Na area molhada as placas não podem ser lisas e devem ser antiderrapantes;
  • a quantidade de pessoas que vão passar em cima do piso (fluxo). Em ambientes em que passam muitas pessoas precisa das placas que resistam a tanto desgaste (não é tão relevante para casas e apartamentos)

Placas de porcelanato: Bom: é mais resistente, mancha menos e tem peças mais iguais entre si, o que permite fazer rejunte mais fino. Geralmente tem um acabamento mais refinado Porém: em geral custa mais, mas há opções com preços acessíveis.  Para aplicar, o pedreiro precisa ter o equipamento de corte especial (serra) e, para fazer juntas bem finas, precisa ser mais habilidoso. Melhor para: quando se quer dar maior destaque para o piso, áreas com muita circulação e bastante sujeira para limpar e quando o preço não é problema. Peças de qualidade: Na hora da compra veja se o escolhido é um produto de qualidade A (extra) que atende todas as normas técnicas de qualidade (NBR 15463, NBR 13818). Também há uma linha conhecida como linha comercial (“C”) que são peças com algum tipo de defeito. Elas são mais baratas, mas você terá mais perda e irregularidades na hora de instalar. Placas de cerâmica: Bom: é mais fácil para instalar, requer menos habilidade do pedreiro e em geral é mais barato (más algumas opções tem custo elevado). Porém: é mais frágil, mancha mais fácil e o acabamento não fica tão fino. Melhor para: áreas com menos circulação e quando se busca maior economia na obra. Peças de qualidade: Existe uma classificação padrão das cerâmicas para determinar a qualidade do material que é baseada no visual da peça (de acordo com a NBR 13.818/97 – Placas Cerâmicas para Revestimentos).  A cerâmica tipo A ou primeira linha é a melhor: 95% das peças não apresentam defeitos visíveis. Cerâmica tipo C ou tipo B, chamada de segunda linha por alguns fabricantes, tem defeitos visíveis, mas garantia de que a peça é tão resistente quanto a do tipo A . E a cerâmica tipo D, que é conhecida por refugo ou terceira linha, além de possuir defeitos visíveis, não possuem garantia de resistência do fabricante. Veja esta informação no verso da embalagem de piso.

MAIOR GASTO

As placas de piso são o maior gasto desta obra. A venda é feita por metro quadrado (m²),  portanto é importante medir bem o espaço do cômodo. Acrescente 10-20% extra a essas medidas por causa das perdas, recortes e futuras trocas (melhor deixar comprado um pouco a mais de piso agora porque o tom das peças pode variar entre os lotes de fabricação). O preço das placas é muito como a roupa – depende muito de desenho, moda e novidade. É bem possível comprar piso de boa qualidade “da coleção passada” pela metade do preço – portanto, vale a pena pesquisar bem.

DETALHE IMPORTANTE

O grande erro, que também causa maior gastos extras, é comprar argamassa colante, rejunte e espaçadores que não correspondem às placas de piso escolhido. Na hora de instalar não se vê a diferença, mas um mês depois pode precisar refazer tudo! Portanto:

  • NÃO COMPRAR argamassa, rejunte e espaçadores ANTES de escolher o tipo de piso que vai instalar;
  • Verificar na embalagem do piso escolhido o tipo de argamassa e rejunte certo, e a largura da junta para espaçadores;
  • Mesmo se todo material foi comprado pelo pedreiro/empreiteiro, não deixar de verificar as especificações nas embalagens dos materiais comprados.

Piso frio, mão de obra

Quem vai fazer seu contrapiso é o pedreiro e para instalar o piso você precisará do pedreiro assentador. Pode ser que as duas etapas sejam feitas pela mesma pessoa, mas confira se ele tem essa habilidade. Não deixe de entrevistá-lo ou entrevistar o empreiteiro responsável antes de contratar e iniciar a obra. Além da entrevista, combine antes de começar como deve ser a entrega final para você aceitar o trabalho e qual será a sua participação nos momentos críticos da obra. Sempre que possível exige a garantia! A entrevista não é uma prova para testar o profissional; é mais uma conversa para ver se vocês se entendem para fazer sua reforma juntos. Se não houver entendimento antes, imagina o que vai acontecer durante a obra!

O QUE PERGUNTAR

  • Quais etapas do piso ele vai fazer – a base (contrapiso), a colocação do piso e o rejunte?
  • Qual é o estado do contrapiso e o que tem que ser feito: acertar ou fazer um novo?
  • Vai impermeabilizar contrapiso na cozinha, banheiro, lavanderia e quintal? Como: com um aditivo na argamassa (é mais comum) ou de outro jeito?
  • Que técnica/ferramenta vai usar para nivelar o piso?
  • Quais são os tempos de secagem necessários nessa obra? (do contrapiso e das placas antes do rejunte)
  • Vai usar espaçadores pra alinhar as peças de piso e fazer o rejunte?
  • Material: argamassa e rejunte são específicos para o tipo de piso? Estão inclusos espaçadores e impermeabilizante?
  • Tudo acima está incluído no orçamento? Como vai cobrar?
  • Pode passar algumas referências de serviços recentes?

DESCONFIAR E EVITAR DE CONTRATAR SE…

  • Ele não quer responder suas perguntas e já fica super irritado.
  • Ele não avalia com atenção a base existente e não acha contrapiso uma parte importante da obra.
  • Ele não acha necessário impermeabilizar áreas molhadas (banheiro, cozinha, etc) e não pediu material para isso
  • Ele vai nivelar o piso no olho, sem usar nenhuma técnica ou ferramenta.
  • Ele não soube explicar o tempo de secagem (nem do contrapiso, nem a espera antes de aplicar o rejunte). Prometeu o piso pronto em menos de dois dias.
  • Ele não pediu e não trouxe argamassa especifica para tipo de piso, nem espaçadores de rejunte.
  • Não deixou claro o que está incluído no orçamento. Ele insiste em receber todo o pagamento logo no início.
  • E, claro, se ele tiver referências ruins.

A COMBINAR ANTES DE COMEÇAR

  • Como deve ficar o trabalho final para voce aprovar e fazer o pagamento pelo serviço. Combine que caso tiver problemas com os pontos embaixo, o pedreiro deverá consertar e/ou refazer o trabalho para aprovação final:
      • O piso deve estar sem trincas, sem sujeira pesada e sem sobras do rejunte nas placas;
      • As placas devem estar bem alinhadas e o piso está plano;
      • Se tiver um ralo você vai jogar água no chão e observar se água escorre bem pro ralo;
      • As portas devem se abrir direito sem enroscar;
      • Não dever ter pontos ocos embaixo das peças do piso. Dar leves batidas no piso e escutar se tem som de vazio.
  • Durante a obra você vai aparecer nos momentos definidos e vai aprovar:
      • Qualidade de contrapiso e início do assentamento do piso;
      • Qualidade de assentamento e início de rejunte.
  • Como e quanto pagar. Geralmente o valor do serviço para instalação de piso e para fazer contrapiso é feito por metro quadrado ou por preço fechado da reforma. Melhor é o contrato por preço total dos serviços – assim tem mais controle sobre os gastos com mão de obra