Guias anti-pepinos

 

Reformas em época de crise

Por Arquiteta Giovana Feres Será que ainda é possível, em meio à presente crise, dispender gastos com reformas?Claro que aquela…

3443 visualizações

crise

Por Arquiteta Giovana Feres

Será que ainda é possível, em meio à presente crise, dispender gastos com reformas?Claro que aquela reforma na arquitetura da edificação pode representar grande investimento em um momento que os recursos precisam ser poupados pela instabilidade econômica no país. Porém, é possível sim tornar os ambientes mais próximos do desejado com pequenas reformas internas, sem modificar necessariamente a estrutura dos espaços e, portanto, economizar no investimento total.

Então, como podemos criar ambientes mais aconchegantes, personalizados, criativos, elegantes e principalmente acessíveis em época de crise? A resposta incide em planejar todas as intervenções junto ao seu arquiteto ou designer e pesquisar os preços antes de executá-las. Abaixo seguem algumas categorias de intervenções para facilitar as escolhas de quem pretende reformar.

ILUMINAÇÃO

A troca das luminárias existentes pode configurar um bom investimento, pois além do aspecto estético que os modelos mais modernos atribuem ao ambiente, podem ainda fornecer maior ou menor quantidade de luz e, assim, propor uma ambientação correta conforme a atividade que ali acontecerá. Se a troca das luminárias não for possível ou for encarecer o orçamento, pode-se optar por luminárias de piso e/ou mesa, que não dependam de intervenção elétrica e que possam, ainda, funcionar como objetos de decoração.

PINTURA

Pintar uma parede ou duas com uma cor intensa e diferente das demais pode agregar personalidade ao ambiente e afastar a monotonia, além de renovar o espaço. Uma opção interessante e descontraída, a exemplo, é personalizar uma parede com tinta de lousa para que seja utilizada como mural de recados e desenhos e que pode ser constantemente renovada conforme o que for ali inserido.

REVESTIMENTOS

Numa reforma com recursos limitados, a troca de revestimentos pode ser muito onerosa e a solução pode incidir na pintura, com tinta específica para esse fim, ou na adesivagem desses revestimentos. Para os pisos, uma opção barata é a instalação de piso sobre o piso existente, como o vinílico ou o laminado de madeira, os quais não modificam os pisos existentes e podem ser instalados de forma simples e rápida, com possibilidade de ocupação do espaço logo após sua instalação.

ADESIVOS

Como vimos os adesivos podem ser instalados sobre revestimentos existentes, mas podem também ser aplicados sobre paredes com pintura, mobiliários, portas, objetos como geladeiras e frigobares, entre outros. Há no mercado infinitas possibilidades de cores e texturas, a preços bem acessíveis, e é possível, ainda, criar-se sua própria padronização. Representam assim um bom elemento para a personalização a baixo custo sendo práticos de se instalar e de ser removidos quando necessário.

PAPEL DE PAREDE

Fáceis de instalar e de limpar, os papéis de parede podem ser uma alternativa para cobrir aquela parede sem graça, a qual deve, porém, ter uma superfície lisa e acabada, sem imperfeições. Os preços podem variar muito conforme fornecedor e texturas escolhidas, mas há sempre opções mais em conta no mercado e que podem atribuir um efeito interessante.

MÓVEIS

A troca dos móveis também favorece uma reforma de interiores, mas pode representar grande dispêndio de recursos. Assim, a reutilização é a tendência para gastar-se pouco. Opções são a repintura de móveis antigos e também a utilização de objetos alternativos como mobiliário, como os já bem conhecidos pallets de madeira e caixotes de feira. A partir do tratamento adequado e do rearranjo desses elementos podem ser criados sofás, armários, estantes, nichos, mesas e outros.

DECORAÇÃO

Para uma decoração mais econômica, podemos nos valer de objetos rústicos da arte popular, como potes e vasos de barro e madeira, artigos em vime e outros que costumam ser mais baratos e valorizar a cultura local. Quadros e pôsteres também são opções baratas e que atribuem maior personalidade aos espaços, até mesmo em banheiros, cozinhas e lavanderia. Almofadas, com texturas e cores diferenciadas, também permitem uma composição sofisticada ou despojada, conforme se queira. Cortinas e tapetes, por sua vez, preenchem melhor os ambientes e podem disfarçar um piso ou parede com acabamento desgastado que não pode ser trocado.

JARDIM

Pequenos jardins internos, feitos a partir de vasos de plantas, os quais podem ser adquiridos no comércio popular a preços bem acessíveis, trazem o verde para dentro dos espaços, renovando-os e deixando-os mais vivos.  A atenção deve estar voltada ao tipo de espécie a ser adquirida para cada ambiente conforme maior ou menor luminosidade incidente.

Por fim, em todas as categorias citadas, a dica para não errar é evitar exageros para não deixar os ambientes sobrecarregados, sendo o objetivo principal garantir a harmonia entre cores, texturas, relevos, formas e volumes de toda a composição. Em relação aos custos, mudar o visual não significa necessariamente comprar tudo novo. Reaproveitar está na moda e cada vez mais presente nas mostras de decoração e arquitetura, já que ao improvisar os materiais e objetos pode-se diminuir o consumo e ainda criar um espaço diferenciado, personalizado e mais acessível.

Este artigo foi escrito pela arquiteta Giovana Feres para QRevista de Itatiba e, como ele tem muito a ver com o que acreditamos no 100pepinos, republicamos aqui. Obrigada, Giovana, por compartilhar com a gente! e-mail: gsferes@gmail.com

Comentários sobre: 1

  1. Quando devemos impermeabilizar muros de arrimo ?

Tem dúvida ou solução? Compartilhe aqui!

Ou

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×

Login