Guias anti-pepinos

 
Guia

Pintura

 

 

Este guia é para quem vai contratar um profissional para fazer pintura na sua casa e quer ficar mais no controle da qualidade da obra. Aqui você encontra as informações essenciais para ter noção do processo e dos erros comuns, escolher melhor material e mão de obra, e aparecer na obra na hora certa sabendo para o que olhar.

O Básico

 

Primeira coisa que se deve lembrar é que pintura não é só o passar da tinta, mas também é o preparo da parede (ou outra superfície que vai pintar). A maioria dos pepinos com pintura acontece porque os defeitos são disfarçados com a tinta nova ao invés de ser concertados antes. Se a parede estiver rachada, com infiltração ou embolorada, não pinte. A tinta não resolve esses problemas; pode até esconder por um tempo, mas você terá jogado dinheiro fora. Conserte primeiro.

As principais etapas da pintura são: preparação da parede, proteção do ambiente (maçanetas, rodapés, tomadas, interruptores e chão), e aplicação de tinta. O que demora mais é a preparação e o tempo de secagem entre as demãos de tinta.

Atenção no preparo da parede

 

A parede bem preparada é firme, coesa, limpa, seca e sem mofo. O pintor sempre deve lixar a parede, especialmente se havia pontos com tinta descascando, papel de parede ou textura. Depois deve retirar todo o pó com uma vassoura de pelo e pano úmido. Depois, deve aplicar massa corrida e esperar que ela seque; ele também pode aplicar um fundo selador. Só depois vem a tinta.

Mesmo que a superfície esteja regular, sem nenhum problema, peça para o pintor lavar e secar, antes de aplicar a tinta. Na dúvida melhor limpar mais uma vez. Se a parede tiver manchas ou graxa, ele deve lavar com água e sabão neutro; se tiver mofo, lavar com água e água sanitária e deixar agir por uma hora, antes de enxaguar. A parede limpa garante que a tinta não solta.

Proteger bem da sujeira

 

Por mais que pareça simples e óbvio, a proteção do ambiente requer um profissional caprichoso. Todos os objetos que não serão pintados devem ser protegidos, inclusive aqueles que a gente nem repara, como dobradiças das portas, por exemplo. O pintor deve usar fita crepe e papelão para proteção. Não se usa plástico para proteger o chão – a tinta caída não seca fácil e se espalha pela casa inteira.

Multidão de tintas

 

Você vai ouvir recomendações do pintor, do lojista, do vizinho e dos outros experts e pode se perder na hora de escolher a tinta. O importante é que você entenda o que esta comprando. Para simplificar, as tintas são diferentes em três aspectos:

  • Resistência à água e atrito (tintas mais “leves” – Cal, Látex ou mais  “pesadas” – Acrílica, Epóxi, Esmalte). Na maioria dos casos, a escolha fica entre Látex e Acrílica, e só às vezes,  Epóxi.
  • Brilho (fosco, acetinado, brilhante). Lembre que mais brilho ressalta mais os defeitos da parede.
  • Qualidade que é basicamente o rendimento (econômica, standard, premium – as marcas se diferenciam por este aspecto).

Veja o capitulo Material deste guia para mais detalhes sobre sua escolha.

A grande parte das tintas tem certificação de qualidade da ABRAFATI e tem um selo na lata. Prefira tintas certificadas porque as não certificadas podem até custar menos, mas têm o rendimento bem menor e você vai acabar gastando mais no final das contas.

A própria pintura

 

Evite comprar toda tinta e pintar antes de fazer o teste de cor para ter certeza da sua escolha. Para testar, basta comprar as latinhas de teste (chamadas ‘quartinhos’, porque são ¼ de litro) pintar pedaços pequenos (1 m²) da parede para ver como fica. Há várias cores disponíveis nessa quantidade e também é possível comprar a tinta misturada na loja.

Em geral, o pintor vai aplicar de 2 a 3 demãos de tinta, com intervalo de 4h entre elas em media. Quanto mais demãos, mais uniforme a cor e melhor a cobertura da parede. O seu pintor deve informar quantas demãos ele acha necessário no seu caso. Isso varia conforme o estado da parede, a cor escolhida e a qualidade da tinta.

O que o pintor faz e não faz

 

Além de aplicar a tinta efetivamente, ele deve preparar a parede e proteger o ambiente. Ou seja, você pode exigir mesmo que ele raspe, lixe e lave as paredes (ou a superfície que for pintar, como teto, portas, etc) e que ele cole a fita crepe nas maçanetas, rodapés etc. E exigir que ele limpe tudo depois que a pintura acabar.

Porém, se houver problemas de vazamento ou rachaduras nas paredes, você deve chamar um encanador ou pedreiro. Não contrate seu pintor às cegas – cheque referências e entreviste antes. Veja o capítulo Mão de Obra para mais orientações.

 

Pintura – ERROS COMUNS
Pintura – MATERIAL
Pintura – MAO DE OBRA
Pintura – VOCE NA OBRA

 

Relacionados a este guia

Pintura – ERROS COMUNS

por: Igor Karpachev

  • 0

Pintura – MATERIAL

por: Igor Karpachev

  • 0

Pintura – MAO DE OBRA

por: Igor Karpachev

  • 0

Pintura – VOCE NA OBRA

por: Igor Karpachev

  • 0

Reformas em época de crise

por: Equipe 100pepinos

  • 2
×

Login